Avebarna F. C.






Talento jogado no lixo


Deu na coluna do Tostão
O Tempo, 14-10-2015

Roscas, trivelas e três dedos” 
“Lembrei-me disso ao ver o excepcional e jovem meio-campista brasileiro Thiago Alcântara na seleção espanhola. Se ele tivesse sido formado no Brasil, certamente, seria hoje muito inferior ao que é, escalado como um meia ofensivo, para entrar na área, já que o meio-campo, no Brasil, foi dividido entre os volantes que marcam e os meias que atacam.”


E eu me lembro, sempre que me deparo com esse tema recorrente nas crônicas do Tostão, de Carlos Alberto, revelado nas categorias de base do Fluminense, um dos maiores desperdícios do futebol brasileiro da era dos cabeças-de-área.

Meio-campista nato, de extraordinário talento, Carlos Alberto foi convertido pela nefasta divisão assinalada por Tostão em um errático meia-atacante condutor de bola e medíocre finalizador, com consequências quase trágicas – considerando a sua propensão para a rebeldia desgovernada – para a sua carreira.

Em uma entrevista concedida na época em que comandava a Inter de Milão, José Mourinho disse que Carlos Alberto era “espetacular”, mas admitiu não fazer ideia do paradeiro do jogador: “não sei onde joga''. (UOL Esporte, Blog da Redação 06-01-2012)


Não sabia mesmo.  Foi com a inestimável ajuda de Mourinho – e do acaso monstruoso também, tendo marcado um dos gols do Porto na decisão da Champions League de 2004, contra o Mônaco – que Carlos Alberto teve glorificada a destruição do seu verdadeiro talento.

2015-11-04


***

Papai Noel  tricolor


www.avebarna.blogspot.com.br
Foto: Nelson Perez / Fluminense


2015-09-30



***


Causa perdida

Deu no Avebarna online
Por Avebarnapress, 21-09-2015
Ponte Preta 3 x 1 Fluminense
Flu demite treinador contratado na véspera e faz proposta milionária a São Judas Tadeu




2015-09-21



***

O salvador da pátria


Deu n’O Globo online
por O Globo 16/09/2015
http://oglobo.globo.com/esportes/enderson-demitido-do-fluminense-apos-goleada-para-palmeiras-17516199#ixzz3m0ZHc4QC

Enderson é demitido do Fluminense após goleada para o Palmeiras



Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo
Fred foi, uma vez mais, engolido pelo mito do "salvador da pátria", o craque que vive a profissão em preto e branco: ou está lesionado e não joga ou está pronto para resolver todos os problemas. Jogador fora de forma não tem que jogar o tempo todo, muito menos bater pênalti no meio do segundo tempo, com a perna já pesada - e o que é pior, tentando colocar a bola no cantinho! O gol fácil perdido no primeiro tempo deveria tê-lo alertado. (E ao treinador também. Mas os treinadores quase sempre se curvam à mística do craque e não interferem nas cobranças de pênalti!) 

Marcos Junior, bom garoto e bom de bola, que apareceu onde não era a sua obrigação para quebrar o galho de W Silva, A Carlos e Jean, deixou-se levar uma vez mais pelo capeta que parece perturbar o seu espírito: ali era fazer o simples. Antônio Carlos, ó Deus, fez jus à grossura codificada no DNA da nossa ala direita defensiva. 

Mas o resumo da ópera é que o time vem jogando com os nervos à flor da pele, se descompondo ao primeiro revés. Desde o fatídico anúncio da aventura R-10, perdemos o foco, a tranquilidade e a coesão. Se é para dar espetáculo, exibir virtuosismo e vender camisa, para que tanto esforço físico e disciplina tática?

2015-09-17

***

Nau cruzmaltina à vista


Deu no Lancenet 
Por LANCEPRESS! 14/09/2015

No Rio, Ronaldinho Gaúcho, Cícero e Henrique treinam no Fluminense
Trio poderá ser relacionado para a partida da próxima quarta-feira, contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro

www.avebarna.blogspot.com.br



2015-09-14


***


A Fred o que é de Fred

Deu no Lancenet
Por LANCEPRESS! - 15/09/2015

Flu dá apoio a Fred após atacante ser hostilizado: '#FechadocomoFred'
Atacante quase foi atingido por lata de cerveja no desembarque no Rio de Janeiro 


Fred é um grande centroavante, mas que demora a entrar em forma. Achar que ele vai entrar e resolver nossos problemas, depois de semanas parado, é uma ilusão. Este mesmo equívoco o levou prematuramente à Copa 2014 depois da mais séria lesão da sua carreira. Afundou junto com o time, mas levou a maior parte da culpa - porque não fez gols! Centro-avante é como goleiro: posição de alto risco. 

Infelizmente, parece que o tempo de que ele precisa para chegar ao auge da forma técnica é o mesmo que leva a sua musculatura para estourar. É frustrante para a torcida - e para ele deve ser ainda mais! Contra o Esporte, deveria ter entrado para jogar os últimos 30 minutos, não escalado de início. O mesmo vale para o jogo de amanhã. 

A defesa está muito fraca. Tem que fazer 2 linhas de 4, a segunda bastante rígida e de recomposição rápida, com o Scarpa pela esquerda, Edson e Vinícius pelo meio e o Jean na ala direita, "protegendo" o W Silva, que é ainda mais grosso que o Gum. Se o Jean estivesse ali, em lugar do Gerson, o gol do Esporte não sairia. Não se pode contar com o Gérson no esforço defensivo: ele é preguiçoso demais e não tem mais tempo de Flu para aprender. Se continuar assim, vai virar o novo Ganso. Melhor deixar ele flutuando na intermediária ofensiva para lançar bolas na vertical e na diagonal. Ou trocá-lo pelo Marcos Jr. - que joga muito, é técnico, valente e impetuoso, embora raciocine com o fígado!

2015-09-15


***

Respaldo é bom e eu gosto!

Deu no Lancenet
Por Matheus Babo - 14/09/2015 - 06:01 Rio de Janeiro (RJ)

Respaldado pela diretoria, Enderson fica pelo menos até quarta-feira



2015-09-14



***


Para quem será o recado?

Deu  no Lancenet 10-09-2015
Por LANCEPRESS!
http://www.lancenet.com.br/fluminense/Enderson-Moreira-Flu-empate-Jogamos_0_1428457162.html#ixzz3lNWReE3f

Enderson Moreira elogia o time do Flu após o empate: 'Jogamos com alma'.
— Acho que em determinado momento nós deixamos de fazer aquilo que nos daria a oportunidade de liderar o campeonato ou estar no G4. Deixamos de competir.




2015-09-10



***



R-10 na seleção!

Capa do diário Lance 03-08-2015
Eu só espero que a desilusão venha depressa, não tanto para salvar a campanha de 2015, que seria pedir muito, mas para preservar os anos de trabalho despendidos na faxina financeira e institucional da “franquia", na superação do mecenato do Príncipe das Laranjeiras, na formação de uma equipe tecnicamente forte, solidária e competitiva e, último mas não menos importante, na construção do que pode vir a se tornar uma das mais importantes escolas de futebol do Brasil. 

E para que não me tomem por negativista, eu sugiro que, em vez de pôr R-10 para atuar no campeonato brasileiro – onde muitas equipes, inclusive a nossa, já dão passos efetivos para tentar praticar o gênero de futebol que o tornou irrelevante nos campos da Europa –, poderíamos mandá-lo com a nossa brilhante equipe sub-20 a excursionar pelos mercados emergentes. Os garotos iam adorar, os árabes, chineses, tailandeses, norte-americanos e indianos também, e a marca Fluminense FC se tornaria conhecida em todo o mundo, como parece ser a justa preocupação dos inventores dessa aventura extemporânea.

No dia em que o Flu, que vinha de duas derrotas absolutamente evitáveis e um recuo considerável na tabela de classificação, enfrentaria um dos times mais velozes e bem estruturados campeonato, dizer, como fez a matéria do Lance, que “a torcida tricolor quer ver lances de efeito” é insinuar que a disputa pelo título se tornou secundária e que o que se espera da equipe é coadjuvar à altura o espetáculo de showbol de R10.

Insuflar, com o indisfarçável propósito de turbinar a venda de notícias, a ídolo-dependência infantil de milhões de torcedores que acreditam que tudo se resume, para vencer no futebol, a ter do seu lado o gênio da camisa 10 é contribuir para a tese de que o que aconteceu na Copa das Copas foi um mero acidente de percurso, quando muito um apagão generacional, não a desagradável conseqüência de termos ficado décadas beatificamente - burocraticamente seria mais exato - deitados em berço esplêndido a desfrutar imaginários privilégios de povo eleito do mundo do futebol, destinado, do início ao final dos tempos, a vencer sambando com a bola no pé. 


03-08-2015

***


A lesma lerda


Deu no Hoje em Dia
Estadão conteúdo 01/07/2015
http://www.hojeemdia.com.br/esportes/cbf-quer-conselho-estrategico-para-debater-futebol-brasileiro-1.329066

CBF quer conselho estratégico para debater futebol brasileiro


Fonte: Internet








O FBI ataca apontando  os coconspiradores. 


A CBF contra-ataca reunindo os coconselheiros.



2015-07-11



***

Erro estratégico


Deu n'O Globo online 
por João Máximo 06/07/2015
http://oglobo.globo.com/esportes/um-ano-apos-7-1-parreira-diz-que-faltaram-envolvimento-volupia-na-ultima-copa-do-mundo-16671859#ixzz3fDOnjXRo

Um ano após o 7 a 1, Parreira diz que faltaram 'envolvimento e volúpia' na última Copa do Mundo 

www.avebarna.blogspot.com.br

CAParreira,
PhD, Soccer Strategist & Consultant,
lê para seus coconselheiros as mais
recentes recocomendações
de Dona Lúcia para o futuro da
Teixeira, Marin, Del Nero & Cia,
“o Brasil que dá certo”.
Depois de um ano sabático inteiramente dedicado aos domingos em família e ao programa de reciclagem profissional Diálogos Com Dona Lúcia, CAParreira, PhD, Soccer Strategist & Consultant veio a público durante as celebrações do primeiro aniversário da Blitzkrieg da Pampulha, já investido no cargo de Conselheiro Acácio de Desenvolvimento Estratégico do Futebol Brasileiro, para declarar que foi um grave erro dos aiatolás da CBF, naquela desditosa ocasião, prometer 72 virgens celestiais aos jogadores que se matassem em campo: 
        — Deviam ter explicado que comer a bola nesta vida daria muito mais satisfação! — declarou.



Leia a matéria completa d'O Globo online clicando em
http://oglobo.globo.com/esportes/um-ano-apos-7-1-parreira-diz-que-faltaram-envolvimento-volupia-na-ultima-copa-do-mundo-16671859#ixzz3fDOnjXRo
Leia a cobertura completa da Copa das Copas por Uma estranha e gigantesca ave sobre Barcelona clicando em 


2015-07-10


***


Bomba, Bomba! R-10 nas Laranjeiras!


Deu na ESPN
Por Tiago Leme, 03/07/2015



A dois pontos do líder, Flu mostra armas: Fred como referência e divisão de gols no elenco
"O grupo é realmente muito focado, não tem espaço para vaidade. As lideranças dão o exemplo pela ação, não ficam só na fala. Jogadores treinam com muito empenho e buscam seu espaço. E dou atenção grande aos que não jogam, vejo que eles estão se dedicando nos treinamentos. Os resultados dão mais confiança para eles também, todos crescem", afirmou o técnico Enderson Moreira, que também rasgou elogios ao camisa nove tricolor. (Continua)


Leia a matéria completa clicando em 

2015-07-02



***


Logbol


Mesmo aos mais lúcidos comentaristas esportivos parece às vezes escapar - falando não da seleção, mas do campeonato brasileiro - que o mercado mundial do futebol cresceu exponencialmente nos últimos dez anos em moedas mais fortes que o real. 

Isso significa que todo jovem bom de bola está de partida, a qualquer momento, para o que imaginam ser o caminho da fortuna, ou pelo menos um emprego melhor, na Europa Ocidental, Rússia, Ucrânia, Turquia, China, Japão, Arábia, EUA, Índia e até Coreia! 

Jogam no Brasil os que ainda correm de fralda, os que estão na fila do passaporte, os que aguardam o próximo avião para o fim do mundo sem saber se voltam, os que estão de olho nas vagas dos aventureiros, os que sonham  dar um pulinho nas arábias para faturar em ouro negro, os que não vão de jeito nenhum porque são muito apegados às suas avós de criação, os que já passaram da idade de recomeçar no estrangeiro, os retornados que já não têm vaga nos times de ponta e preferem se aposentar na terrinha e, naturalmente, os pernas-de-pau. 



E o que é pior, são incompreensíveis para o aficcionado do jogo - e surpreendentes até para profissionais tarimbados como don Juan Carlos Osorio - as regras que regulam a transferência de jogadores. O que se vê é um troca-troca infernal que desfaz times inteiros em uma semana e obriga treinadores a montar a remontar suas equipes duas e até três vezes durante a temporada! Não vejo nenhum "professor" brilhante formado nos campos tupiniquins, mas convenhamos...


Hoje, no Gigante Adormecido, montar um bom time de futebol é um exercício de equilibrismo. Ou melhor: é um complexo problema de logística!

2015-07-01



***


A entropia segundo o Prof. Drubsky 


Deu n’O Globo online 
por O Globo 08/04/2015 


Drubscky: ‘Se continuar sofrendo assim até o fim do ano, eu morro’

Foto: Nelson Perez / Fluminense


2015-04-08



***


E acham pouco?


Deu no Lancenet
LANCEPRESS! - 07/04/2015 
Perto de acerto, Pierre chegaria para posição carente no elenco tricolor
(..) A diretoria carioca vem buscando um jogador para compor o elenco, já que o técnico Ricardo Drubscky tem apenas quatro volantes para a posição. (..)




2015-04-07

***


Detalhes tão pequenos...

Deu na ESPN online 
29/03/2015 agência Gazeta Press 

Para Parreira, mérito de Dunga é usar filosofia implantada por Zagallo 
www.avebarna.blogspot.com.br Foto: Getty/ESPN online

 "É um conceito muito concreto: quando o futebol brasileiro aprende a jogar sem a bola, fica quase imbatível. Esse é o desafio de um técnico da seleção. Quando isso acontece, você está muito próximo do resultado positivo.
 (Continua)

Leia a matéria completa clicando em




2015-03-30


***

A prática da relatividade

Deu no Lancenet
LANCEPRESS! - 15/03/2015  

 Cristovão analisa derrota para o Macaé: 






2015-03-16


***


O fino da bola

Deu no Lancenet
LANCEPRESS! 12/03/2015 

Embalado por promessas, Flu precisa de 15 minutos para vencer Bonsucesso 
Gerson e Kenedy voltam a marcar na mesma partida e mantêm Tricolor entre os quatro primeiros colocados. 



2013-03-13


***




***


A estratégia infalível do Professor Cristóvão

Deu no Lancenet
02-02-2015  
http://www.lancenet.com.br/fluminense/Fred-vitoria-suada-esperado-sofrimento_0_1295870560.html

Fred, após vitória suada na estreia: 'Não era esperado tanto sofrimento'

O mistério continua. Por que razão o nosso simpático professor Cristóvão Borges invariavelmente põe o Walter para jogar ao lado de Fred precisamente quando, a 2/3 das partidas que estamos vencendo, começamos a perder o meio-campo e tomar pressão? 

No brasileirão passado, tomamos viradas absurdas por causa dessa louca teimosia. Com Fred, Walter (e Sobis) no segundo tempo, abria-se para os adversários uma Praça da Paz Celestial na nossa intermediária defensiva! Ontem, quase tomamos o empate. A queixa (justa) era de que não tínhamos atacantes de velocidade para o contra-ataque. 

Ora, para quê afinal (supostamente) os temos agora?

Começo a desconfiar que seria melhor o Cristóvão ser apenas treinador, cabendo ao presidente do clube a complexa tarefa de escalar e substituir!



2015-02-02


***

Menos assanhamento, meninas!

Fim da parceria com Fluminense pode dar início a 'Saldão da Unimed' 

Após 15 anos de uma longa parceria, Fluminense e Unimed deram fim ao casamento. Nesta quarta-feira, a cooperativa de médicos anunciou que, por estratégia de marketing, não seguirá como patrocinadora do clube. Entretanto, as finanças foram o grande motivo do divórcio. E agora, as Laranjeiras podem ser palco de um "saldão" da empresa. 

Acesse a íntegra da matéria clicando em  
http://espn.uol.com.br/noticia/467105_fim-da-parceria-com-fluminense-pode-dar-inicio-a-saldao-da-unimed


2014-12-10

***

Caindo na real

Deu no Lancenet
RADAR/LANCEPRESS! - 10/12/2014 http://www.lancenet.com.br/fluminense/Unimed-anuncia-parceria-Fluminense_0_1264073603.html


Após 15 anos, Unimed anuncia fim da parceria com o Fluminense 
Celso Barros de Médici, 
o Príncipe das Laranjeiras,
espera retornar ao clube
 nos braços do povo para, 
como o apoio moral de
 Don Eurico Ferrante Miranda, 
Duque de S.Januário, 
e a bênção de Rubens Maquiavel 
Lopes, Chanceler da FERJ, 
reviver os dias de glória
da Repubblica Tricolore.


Presidente da patrocinadora do Tricolor anunciou, na manhã desta quarta-feira, que não continuará mais investindo no futebol do clube:

“A Unimed-Rio informa que encerrará seu contrato de patrocínio ao Fluminense Football Club ao final de 2014, após 15 anos de parceria. A decisão é fruto de uma revisão da estratégia de marketing da empresa. (Continua)


Acesse a íntegra da matéria clicando em
http://www.lancenet.com.br/fluminense/Unimed-anuncia-parceria-Fluminense_0_1264073603.html

















2014-12-10



***

A Fred o que é de Fred


Justiça se lhe faça, antes tarde do que nunca o nosso artilheiro aprendeu a bater pênaltis; ou alguém o chamou num canto e disse que presepada em penalidade máxima tira até o direito de errar de vez em quando. 

Confiram os dois clipes abaixo.



Fluminense X Cruzeiro Brasileirão 2013 
 

Fluminense X Corínthians Brasileirão 2014


2014-12-02

O quarteto fantástico





2014-11-22


***

Il padrino


Deu no Lancenet
Por Daniel Guimarães e João Matheus Ferreira - 12/11/2014
http://www.lancenet.com.br/vasco/Confirmado-Eurico-Miranda-presidencia-Vasco_0_1246675576.html#ixzz3KGtDTW00

Confirmado! Eurico Miranda volta à presidência do Vasco após seis anos



2014-11-12


***


Fator surpresa


Deu no Fluminense-RJ
por Agência Estado 05/11/2014 
 

Durante o treino desta quarta-feira, o técnico Cristóvão Borges indicou duas possíveis mudanças no time do Fluminense para o jogo contra o Coritiba, sábado, no Couto Pereira. O lateral-esquerdo Carlinhos e o volante Diguinho treinaram entre os titulares, na vaga de Chiquinho e Edson, respectivamente.
(...) A atividade principal conduzida por Cristóvão foi um trabalho tático que usou metade de campo (...)




Em Tempo: O blogueiro defende a permanência do professor em 2015 - mas não pode perder a piada.

2014-11-10



***


Dificuldades à vista


Avebarna Press:

Caem os preços dos principais produtos de exportação brasileiros: minério de ferro, petróleo bruto e e cabeças de área


2014-11-07




***


Capitão Durindana

Deu n'O Globo online
25/07/2014
http://oglobo.globo.com/esportes/gilmar-rinaldi-diz-que-escolha-de-dunga-foi-por-uma-questao-de-perfil-nao-de-nome-13377910#ixzz38bJj2deh
Gilmar Rinaldi diz que escolha de Dunga foi por uma questão de perfil e não de nome


CA Parreira,
Soccer Strategist & Consutant,
Cap "Dungeon" Dunga,
Gen da reserva “Felipão” Scolari,
ex-técnico de futebol em atividade
na Copa das Copas


"Não foi por outra razão que Felipão foi chamado para o cargo: no pântano atual, um técnico carismático capaz de montar um "time de embalo" parece ser, de fato, a única chance de ganharmos esta Copa do Mundo.
Retornarei um dia, quem sabe, ao assunto com a postagem "Parreira o tecnocrata, Dunga o disciplinador, Felipão o carismático: a burocratização da escola brasileira de futebol".



"Escola de futebol ou bloco de embalo?" 2014-06-14,
http://www.avebarna.blogspot.com.br/2014/06/escola-de-futebol-ou-bloco-de-embalo.html 


2014-07-27


***



E agora, José?
Agora vocês resolvam, porque eu estou de saco cheio desse joguinho extracampo. Avebarna FC entra em recesso até segunda ordem.
2014-08-21



O ataque dos sonhos...



... do patrocinador. Futebol soçaite de alta classe.
2014-08-21


Flu não anda ou desandou?

Para abordar o problema de porque o Flu não anda, ou desandou, eu proponho aos tricolores que acompanham o futebol internacional comparar as características - apenas as características! - dos trios ofensivos do Flu e do Liverpool. 

Walter, Fred e Sobis

Sterling, Sturridge e Felipe Coutinho

Nada tenho contra os profissionais em questão, todos sérios, honrados e - o que costuma confundir o torcedor - muito bons de bola. Os critérios que presidem a montagem do elenco é que estão totalmente equivocados: faltam juventude, explosão e velocidade, sem as quais, no futebol contemporâneo, pode-se ganhar exposição na mídia mas não se ganham campeonatos. Os melhores momentos de Fred no Flu foram ao lado de Maicon e Nem, que Nem de longe eram craques mas lhe davam os gols na bandeja!

Mecenato é amadorismo. Unimed sim, Celso Barros não!

2014-08-21

 
***

Cristóvão dá mole para o azar, o América de Natal e o Celso Barros!
 (E um fôlego à Arena das Dunas)

A estratégia da partida era fazer o simples, ou seja, exatamente aquilo que o técnico disse, durante a semana, que "é mole": jogar no contra-ataque. Primeiro porque o adversário é que precisava da vitória - e que vitória! - segundo porque o Fluminense precisava poupar o time.

Pois já na partida de ida, em Natal, com 2x0 a favor Cristóvão coloca Sóbis e Walter, sem tirar Fred - vale dizer, abre uma Praça da Apoteose no meio do campo que o América utilizou para tomar conta do jogo e quase fazer pelo menos um gol, talvez dois, no fim da partida. [*]

No segundo tempo de ontem, o time, que é inovadoramente "treinado para atacar" controlando a bola na intermediária ofensiva, ficou desesperado por ter tomado o empate e saiu a todo pano, com um meio de zaga reserva falhando seguidamente, em busca de uma vitória pouco ou nada relevante, pela qual Cristóvão restabeleceu o meio-campo ofensivo titular e o "modo de ataque total" - num momento perigoso em que era necessário agrupar os meias atrás da linha do meio-campo e entrar com pelo menos um atacante jovem e veloz para sair no contra-ataque. Conca e Wagner pareciam alucinados para fazer o terceiro gol - como se já soubessem que o adversário iria fazer cinco! 

De fato, nós, que acompanhávamos a partida pela TV, pressentimos no quarto gol do América que o quinto era questão de tempo.

Parabéns ao América e ao seu técnico, Oliveira Canindé, que mataram a pau no jogo de ontem. Se o resultado de 5x2 foi absurdo, o de 3x0 tampouco refletiu o que se viu na Arena da Dunas.
 
Cristóvão tem crédito, e muito, pelas inovações que vem promovendo no futebol do Flu. Mas que ontem lhe faltou cabeça, modéstia quem sabe, ah, isso faltou.


[*] PS: o mesmíssimo erro foi cometido dias depois, contra o Botafogo. Em poucos minutos, estávamos perdendo de 2x0. As chances perdidas no fim da partida - inclusive o pênalti, que um técnico exigente não deixaria o Fred bater -  não contam: foi jogo de abafa.

2014-08-14


***


Celso Barros é problema, Cristóvão solução 

Preocupado, por motivos óbvios, com a paz e o silêncio reinantes ao redor do trabalho discreto, eficiente e inovador de Cristóvão Borges à frente do time de futebol do Fluminense, o mecenas Celso Barros, presidente da patrocinadora, tentou uma vez mais botar fogo no circo - para ganhar em publicidade - especulando com a contratação do ex-craque em atividade (noturna) Ronaldinho Gaúcho, uma autêntica bomba de fragmentação no colo do nosso técnico.
 

O Fluminense está longe de ser o melhor time do Brasil, mas não resta dúvida de que o trabalho de Cristóvão é, junto com o de Marcelo Oliveira, no Cruzeiro, o único hálito de inovação que sopra por aqui há muitos anos. Jogando, no último domingo, como num treino - não porque estivesse fácil, mas porque não havia público - o Flu meteu 3 x 0 no Atlético Paranaense controlando a bola na intermediária ofensiva. À moda espanhola, aperfeiçoada, como vimos 7 vezes, pela Alemanha. 

O principal problema do time, aliás, continua sendo a herança do ataque organizado por Celso Barros no tempo de Abel Braga - Deco, Sóbis, Tiago Neves e Fred - todos muito técnicos, bons de bola e, no conjunto, de apelo midiático, mas incapazes de ganhar de quem quer que fosse no drible, na explosão, na velocidade ou na força física. Ideais para campeonato de veteranos. Meu palpite para o ano que vem é Mateus Carvalho. Deviam mandá-lo à Europa estagiar com Luisito "Drácula" Suarez.

Lamentavelmente, a melhor equipe de comentaristas de futebol da TV, a da ESPN, que tem feito uma bela campanha por uma revolução conceitual no futebol brasileiro, passou toda a última segunda-feira reclamando da mesmice do nosso campeonato e falando um sem-fim de abobrinhas sobre a pelada Corinthians x Palmeiras - uma grotesca demonstração de provincianismo jornalístico. Juca Kfouri e José Trajano, vejam só,  até pareciam Dunga e Luxemburgo, que não viram "nada de novo na Copa do Mundo". 

Eu torço para que Cristóvão descubra o equilíbrio entre solidez defensiva e letalidade ofensiva, menos pela paixão clubística do que para contrabalançar o marasmo retrógrado que por aqui assola, dentre outras coisas, o nosso futebol. 

2014-07-30




Pumpkins of fire

Em merecida homenagem à decisão da FIFA de programar partidas no Norte-Nordeste brasileiro para as 13:00h, mas também, convenhamos, por se saber pouco digna de sua própria venerável tradição, a seleção da Holanda que disputa a Copa das Copas, conhecida no meio do futebol como Laranja Mecânica, decidiu mudar de apelido para Abóboras de Fogo.

2014-06-29




Coaches in action


CAParreira, PhD, Soccer Strategist & Consultant, 
expõe, sob o olhar atento do General da Reserva 
"Felipão" Scolari, ex-técnico de futebol em 
atividade, e o ouvido mouco do Cabo Murtosa, 
o ponto de vista de que deveriam ter trazido 
à Copa quatro centroavantes: dois para o tempo 
normal e dois para a prorrogação,  sendo este
o critério ótimo para uso, em todas as partidas,
 das 3 substituições previstas na regra.
Que Felipão tivesse trazido um centro-avante clássico, o melhor disponível, para uma situação de emergência, se compreenderia. Mas trazer dois que estão a léguas de distância do padrão de qualidade internacionalmente estabelecido para competições desse nível e, ainda por cima, substituir um pelo outro, numa partida de prováveis 120 minutos disputada à 1 hora da tarde e numa circunstância crítica em que o mundo inteiro se perguntava pelo meio-campo (transição, modernamente) brasileiro, é um inequívoco sintoma de senilidade. 

2014-06-29




Jeitinho brasileiro

Considerando a mediocridade do nosso sistema de jogo e a pobreza da nossa armação (Fernandinho é a solução!!), na hora do aperto eu, se fosse o general Scolari, poria o Maxwell na lateral e o Marcelo para tocar tamborim e reco-reco com o Neymar. 

Em bloco de embalo, o melhor é bagunçar.

2014-06-28





Quem jogou bola até agora

Fonte:http://www.fusionsc.org
Procurado por uma importante consultora de soccer development para opinar sobre as seleções que mais jogaram bola até agora, este blogueiro não se fez de rogado:


- Colômbia, Costa Rica, Holanda, França, Neymar e Messi. 

- E a Alemanha? -  quis saber o entrevistador.

- Ainda não apareceu para jogar. Ouvi dizer que está de férias num resort paradisíaco do litoral da Bahia à espera de adversário.
2014-06-28



Oitavas: sai o futebol, entram os pênaltis?


Montero e Dida, decisão da Liga dos Campeões da Europa 2003
Que os deuses do futebol nos protejam do ramerrame defensivo e das disputas de pênaltis, território preferido de burocratas do ludopédio do tipo CAParreira, PhD, que preferem se defender de olho no álibi de perder nos pênaltis a atacar correndo o risco de perder na bola.

E para piorar, as famigeradas "séries de tiros diretos da marca do pênalti" são sempre decididas de maneira irregular: os goleiros infringem sistematicamente a regra se adiantando à cobrança, com o beneplácito de árbitros de pulmões cansados, de bandeirinhas acometidos de bursite súbita, das (C)omissões de Arbitragem da FIFA e até da imprensa em geral, incluindo os mais contundentes críticos dos apitadores - um mistério mais obscuro do que  o Terceiro Segredo de Fátima.


Nesta disputa, entre Itália e Uruguai pela Copa da Confederações de 2013, os goleiros se adiantaram em 100% das cobranças. 

Minha opinião pessoal é pela mudança da regra vigente, por absolutamente anti-humana: é praticamente impossível um goleiro defender um pênalti sem pôr um pé à frente para impulsionar o corpo. Mas quem já não viu uma "disputa de pênaltis" ser decidida por goleiros que saem com os dois pés ou dão até três passos antes da cobrança? 

PS: Será que o general Scolari, "curvando-se ao craque" como a maioria dos treinadores, vai permitir que o Fred bata o pênalti com aquela presepada que o faz chegar na bola à velocidade próxima de zero para mandar um peteleco na mão do goleiro?

2014-06-28



Irão campeão

Depois do enfático apoio moral aos nossos xiitas em Bagdá e da incontestável vitória moral (2 x 1) sobre a jihad argentina em Belo Horizonte, eu acho que o Irão - como diria o inmetrossexual C. Ronaldo - faz jus a uma carteirinha de sócio-torcedor do Eixo do Bem e a um visto de entrada na Comunidade Internacional*.  

* Para a definição de "Comunidade Internacional", consulte o Glossário Avebarna de Sociologia e Política  Contemporâneas 
http://avebarna.blogspot.com.br/p/democracia-1_10.html

Leia também neste blog
"Todas são primaveras, mas algumas mais floridas do que outras"
http://www.avebarna.blogspot.com.br/2012/01/todas-sao-sao-primaveras-mas-algumas.html 

2014-06-21




Tributo a Guy Debord

O torneio de combinados nacionais de futebol da FIFA tem sido tão bom, com tantos e belos gols, tantas viradas sensacionais e quedas espetaculares que é com prazer que eu exerço o papel que me cabe nesse carnaval - o de telespectador-consumidor 30 horas. 

Está tudo uma beleza. No meu telão HD eu assisto a magníficas partidas de futebol disputadas sobre o pano de fundo de estádios de fantástica arquitetura, profusamente coloridos por alegres plateias de belas jovens perfeitamente maquiadas e pintadas com suas cores nacionais, garotões saudáveis cheios de entusiasmo juvenil vestidos com as camisas de seus clubes e seleções de preferência e, por último mas não menos importante, coroas saradões e saradonas vindos de (quase) todas as partes do planeta com muita energia disponível e dinheiro para gastar. 

O toque picaresco fica conta das caravanas de latino-americanos duros que vão do Oiapoque ao Chuí tentando entrar na festa de penetras. 

Para que o espetáculo fique completo, só falta a vitória do time da casa - a Suíça, é claro.


2014-06-19





Escola de futebol ou bloco de embalo?


A propósito de Brasil 3 x 1 Croácia, concordo em gênero e numero, só não em grau, com Paulo Cezar "Caju":
http://oglobo.globo.com/blogs/blog-do-caju/
"Dois personagens foram decisivos na vitória do Brasil, o goleiro grandalhão Pletikosa [gênero] e o árbitro japonês Yuichi Nishimura [número]. (...) Qual lance maravilhoso vimos hoje? Vimos, sim, um chute errado entrar, duas falhas do goleiro adversário e uma arbitragem camarada. Sinceramente, acho pouco."

Só não concordo com o nosso genial Nariz de Ferro quando diz que "esse não é o nosso futebol. Estamos copiando outras escolas e podemos fazer melhor do que todas elas, juntas, [grau] se acreditarmos em nosso potencial."


Não creio que nossa escola seja, por definição, a melhor, nem que seja questão de acreditar.

Depois de um quarto de século de decadência tática e técnica associada a causas que se podem definir, literalmente, como "de economia externa e interna" - isto é, a financeirização do futebol mundial e a pilhagem da CBF pela família Havelange e seus apaniguados - a "escola brasileira de futebol" virou, no melhor dos casos um "bloco de embalo" do primeiro grupo. 

Não foi por outra razão que Felipão foi chamado para o cargo: no pântano atual, um técnico carismático capaz de montar um "time de embalo" parece ser, de fato, a única chance de ganharmos esta Copa do Mundo. 

Retornarei um dia, quem sabe, ao assunto com a postagem "Parreira o tecnocrata, Dunga o disciplinador, Felipão o carismático: a burocratização da escola brasileira de futebol".

Cordão da Boa Preta em 1918 ACERVO BOLA PRETA
2014-06-14
 



TV Bizâncio - Enquete: Quem é o maior craque de todos os tempos?






A copa no país das  peladas: Brasil 1 x 0 Sérvia  

Gol de pelada de um time de pelada comandado por um técnico de pelada que pede ao nosso craque para ser o rei dos peladeiros.

Ai meu São Cristóvão! Será que é para despistar os adversários?

2014-06-07




O bagaço da laranja


Fonte: http://falso9blog.com/2014/04/el-despertar-de-la-bestia/
Os grandes astros e estrelas do esporte, mais nitidamente os dos esportes coletivos, vivem uma dupla existência - capitalistas fora de campo e trabalhadores dentro dele.

Isto quer dizer que, no limite, eles podem acabar, literalmente, se fodendo - "entende?", diria Pelé.

 No caso dos jogadores de futebol, a evidente hiperintensificação do trabalho imposta à encarnação “trabalhador” na temporada europeia vem cobrando um alto preço à encarnação “capitalista”: vários craques – Cristiano Ronaldo, Neymar, Schweinsteiger, Luís Suarez, Oscar, Xavi Hernandez, Diego Costa, Falcão García, Khedira e outros menos votados - sem falar nos que nem vieram - chegam à Copa claramente no bagaço: fisicamente exaustos, organicamente estressados, clinicamente combalidos e, quem sabe, emocionalmente enfastiados. 

Estariam os donos do negócio matando a galinha dos ovos de ouro?

Eu, como aficionado do jogo, torço para que todos consigam jogar - em alto nível. 

Tomara que a Copa - que deveria ser só do Mundo, não do Mundo da FIFA - tenha partidas capazes de compensar minimamente os sacrifícios e humilhações impostos aos brasileiros pela bizarra coalizão Governo Federal-FIFA que a concebeu e pôs em marcha.

E torço para que vençamos. Não por vencer - “até com gol de mão”, diriam os chauvinistas do ludopédio - mas jogando ao menos tão bem quanto os melhores dentre os combinados nacionais que nos visitam.


PS: A Copa do Mundo era mais divertida no estrangeiro, vista pela TV. No que me diz respeito, não havia a noção da odiosa grilagem da marca pela FIFA, de sua incrível capacidade de manipular os Estados nacionais e, embora a maioria dos nossos craques - a partir dos anos 1990 - já não atuassem no Brasil, tampouco a percepção do torneio como um encontro de combinados nacionais de superastros vinculados a "franquias" européias de propriedade de biliardários do petróleo e da especulação financeira mundial.

2014-05-31 





Entre Khronos e Kairós


 





Pelo cronômetro dos deuses
da oposição
o Atlético é o campeão



2014-05-25




Burocrata fora e dentro de campo

Deu no Lancenet 
LANCEPRESS! - 19/05/2014

http://www.lancenet.com.br/copa-do-mundo/CBF-Brasil-certo-Parreira-estreia_0_1141086045.html#ixzz32FvuSeCM
'A CBF é exemplo. É o Brasil que dá certo', afirma Carlos Alberto Parreira
Coordenador da Seleção rasga elogios à entidade no primeiro dia de trabalho na nova sede
Nunca hei de esquecer que, a certa altura da preparação para a Copa de 2006, para dar uma desculpa para a sua má vontade com Alex, então em grande forma (ou quem sabe por falta de estômago para barrar algum dos figurões que assumidamente lhe cabia administrar), este erudito do futebol inventou que ele era "reserva do Kaká" - mais ou menos a mesma coisa que dizer que o Mandrake era o substituto do Capitão América.


Segundo o jornalista João Carlos Assumpção, do Lance, "Na ocasião Parreira o chamou para uma conversa e explicou que não o chamaria para o Mundial de 2006 por achar que [ele] não se encaixava no esquema tático [sic!] que pretendia para a Seleção". (http://blogs.lancenet.com.br/blogdojanca/2013/09/10/alex-e-a-selecao/) 
Com essa explicação, o tecnoburocrata-mor do ludopédio nacional admitia só ter na cabeça uma única alternativa tática para a seleção - qualquer que fosse o adversário e a circunstância - e, portanto, que seus reservas deveriam ser, na medida do possível, meros sobressalentes dos titulares. Sorte dos treinadores adversários, que eram assim poupados de surpresas desagradáveis e da consequente obrigação de pensar em soluções no transcurso das partidas.

Não espanta, pois, que o que começou como um álibi - "Alex é reserva de Kaká" - tenha terminado como uma 'solução de Procusto' - "Alex não cabe no meu esquema tático". Para consternação da legião de admiradores da sua técnica maravilhosa e seu poder de decidir partidas vindo como que do nada, o genial carequinha foi pela segunda vez constrangido a assistir à Copa pela TV, dessa vez refestelado numa poltrona turca.
2014-05-20





Internacionalismo pelotário 2



2014-05-15





Internacionalismo Pelotário

Cercada de grande expectativa, saiu finalmente a convocação da seleção brasileira de futebol - isto é, o combinado dos brazucas que atuam em clubes europeus financiados por lavanderias russas, califados árabes e potentados estadunidenses.
2014-05-08




Atacante de peso

Deu n'O Globo
Eduardo Zobaran
http://oglobo.globo.com/esportes/botafogo-segue-procurando-atacante-de-peso-11241500#ixzz2pu9znUWq

 
Botafogo segue procurando atacante de peso
   
Demorou. 
O melhor que tinha na praça já é tricolor. Joga muito. Quase um fenômeno - tendo em vista o biotipo. Resta ver se vai dar certo.








2014-01-09



Fora da ordem

A menos de 2 anos e cinco meses para o início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, alguma coisa está, definitivamente, fora da ordem no vôlei brasileiro.

A Superliga Masculina parece estar se desmanchando por falta de patrocinadores e é difícil assistir a uma boa sequencia de grandes jogos. E desconfio, como espectador distante, que há pouca renovação.

Perguntas:

Será apenas o "efeito milk X-Eike" ou o reflexo de incertezas mais profundas na economia do país?

Será o vôlei profissional brasileiro viável como negócio estritamente privado?

Será o segundo esporte mais popular do Brasil uma bem-sucedida invenção da parceria Estado-Rede Globo?

O que seria do nosso vôlei multicampeão olímpico sem o mecenato do Banco do Brasil?

O que tudo isso nos sugere a respeito do país e do mundo em que vivemos?


Deu no Lancenet!
Saída de Bruninho deixa RJ Vôlei com apenas um levantador (...) Bruninho anunciou na sexta-feira sua saída do RJ Vôlei por conta dos quatro meses de salários atrasados. O atual campeão da Superliga sofre grave crise financeira após a perda do patrocínio da OGX, do empresário Eike Batista.
Thiago Sens é o terceiro jogador a deixar o RJ Vôlei - Depois do central Maurício e do levantador Bruninho, ponteiro sai por conta dos salários atrasados. O destino será os Emirados Árabes
Salários atrasados também afetam Montes Claros. Um dos destaques vai embora - O Montes Claros enfrenta crise financeira, logicamente em uma escala bem menor de valores do que a dos cariocas. E alguns jogadores já negociam a saída do time. O ponta/oposto Wanderson, por exemplo, vai puxar a fila. Ele, um dos destaques dos mineiros, acertou sua transferência para o Cannes, da França. por Daniel Bortoletto em 04.jan.2014 às 10:23h
2014-01-06



Galo assado e comido antes da festa
(18-12-2013)

Jogassem 10 partidas por um campeonato, o Atlético abriria muitos pontos de vantagem sobre o Raja. Mas a competição era outra. O Atlético jogou pouco, Ronaldinho foi bem marcado e o Raja, ao sair na frente, destruiu os nervos e a capacidade de pensar do Galo.

Mas para mim ficaram nítidas algumas coisas – de outra ordem.

1 - O Atlético, uma das equipes mais bem montadas do Brasil, por um dos nossos treinadores mais competentes, é um time de segunda comparado ao Bayern Munique – e não me refiro à inferioridade técnica, que é uma decorrência incontornável do poderio econômico do futebol europeu, mas à inferioridade “tática”, mais exatamente conceitual,  que é uma constante do futebol brasileiro: times estáticos, com linhas distanciadas, pouco afeitos à luta pela bola, à transição rápida, à movimentação constante, às triangulações e “quadrangulações”. Um time com 2 “volantes de contenção” não pode aspirar se nivelar ao “futebol integrado” que se joga nos melhores times da Europa. Com raras e honrosas exceções, mesmo diante do Raja o Galo parecia um time de veteranos.

2 - A ânsia terceiro-mundista de “disputar o torneio da vida” faz com que os campeões brasileiros da Libertadores contemporânea deixem de lado suas competições nacionais na ilusão de “se preparar para o grande dia". Ora, a melhor maneira de se preparar para uma disputa eliminatória é estar em ritmo de competição. O Bayern veio com o time titular que jogou no sábado e jogará na semana que vem.  O Atlético veio com um time em férias, totalmente sem ritmo de jogo!

3 - A dolorosa conclusão é que a técnica superior de craques em declínio como Ronaldinho Gaúcho é positivamente útil no campeonato brasileiro, mas provavelmente inútil na disputa com os melhores times europeus. (Fred, por jogar parado na  área, pode ser uma exceção – ou uma confirmação, se a bola não chegar!) Foi pena não podermos assistir a Bayern X Atlético, mas meu palpite é que Ronaldinho mal pegaria na bola. Com sorte, faria um gol de falta. E o Atlético teria pouquíssima chance.

4- Que falta fez o Bernardo! 

2013-12-18




Tostão concorda comigo. Touché!
“Mesmo se for clara, a regra não pode estar acima do bom senso e da justiça, pois existe uma certeza, a de que a Lusa não agiu por má fé nem se beneficiou pelo provável erro. Deveria ser punida de outra forma, e não com a perda dos pontos.”
Tostão

2013-12-15





REAFIRMO A DEFESA DA PENA MÍNIMA PARA A PORTUGUESA. 

Um tribunal decente tem a obrigação de botar na balança a infração e a pena.

Atenção, porém: o Flu não é mais vilão do que ninguém. Nesse negócio não há santos, razão pela qual, aliás, a Portuguesa corre o risco de dançar. E não esperem de mim lágrimas de crocodilo.

Vale lembrar, também, que neste brasileirão metade dos times fizeram 50 pontos ou menos, o que significa que, por um impedimento mal apitado, um gol perdido ou tomado aos 47 do segundo tempo, um erro administrativo ou um pouco de má sorte, qualquer um deles poderia estar na degola em nosso lugar. 


Que venha a Segundona!

2013-12-14



Deu no blog do Juca Kfouri
2013-12-13


A fábrica de santos
Leandro Damião
por Leandro Demori

A fábrica de santos desenforna mais um milagre de barro: São Damião.

Estão dizendo que ele sairá do Internacional por (estão dizendo…) R$ 41 milhões.


A oferta máxima, concreta, mais recente pelo jogador foi de R$ 12 milhões + Arouca, volante com valor de mercado de R$ 8,8 milhões em 2010, quando foi comprado pelo Santos. Hoje, valeria menos. Vamos supor que alguém pagasse, então, R$ 20 milhões por Damião. Por que alguém neste mundo capitalista apareceria com o dobro do dinheiro e nem mesmo cobraria do Santos a sua parte no investimento?

A imprensa noticia que o comprador de Damião é um fundo de investimentos chamado Doyen Sports. Seu representante no Brasil é Renato Duprat, com lista de maus serviços prestados ao futebol brasileiro. Mas Renato parece ser somente o homem das reuniões chiques e dos recados importantes em português. O dinheiro para compra de Damião vem de onde? Vai pra onde? E, sobretudo, esse dinheiro foi feito como?

Até mantermos a regra de que ninguém imprime dinheiro em casa, esses 41 milhões são muito pra um jogador em crise técnica que teria proposta de menos de 1/3 disso, dias atrás.

Vamos à Doyen Sports.

É um fundo noticiado inicialmente como ‘inglês’, mas que na verdade tem sede legal em Malta. Seu endereço é bastante importante: número 40 da Villa Fairholme, na rua Sir Augustus Bartolo, na zona de Ta’ Xbiex.

Mas a Doyen sozinha é só uma empresa sem alma. Precisamos de um nome. Procurando, chegamos a Claudio Tonolla, que aparece como diretor da Doyen. (...)


(Continua)
Para a integra da matéria, clique em 
http://blogdojuca.uol.com.br/2013/12/a-fabrica-de-santos/



2013-12-14




Esse Tostão Vale um Milhão


"Diego Costa nunca atuou profissionalmente no Brasil, joga há quase sete anos na Espanha, gosta do país onde é valorizado, tem cidadania espanhola, prefere paella à feijoada e pensa que é muito mais fácil ser titular da Espanha que do Brasil. Ele quer jogar a Copa. Era óbvia sua escolha. Tratá-lo como traidor é agir como na época da truculenta e hedionda ditadura.

A CBF quer se aproveitar do fato para exacerbar os sentimentos nacionalistas e ufanistas, que crescem na Copa. Quando o Brasil fizer um gol, até os corruptos que roubam o dinheiro público se sentirão patriotas. Vão chorar, copiosamente, enrolados à bandeira brasileira."

(Tostão, "Visão Simplista", Folha de São Paulo, 3 de novembro de 2013)


Leia a íntegra do artigo em
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/tostao/2013/11/1366131-visao-simplista.shtml 

2103-11-04





Nenhum comentário:

Postar um comentário