quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Recapitulando: Lagartixa na parede



Refletindo, não por acaso, sobre a Primavera Democrática de 2011-2013 - Árabe, Turca, Espanhola, Norte-Americana, Brasileira - sou levado a pensar que a Revolução vindoura, quando e onde quer que comece, a tempo quem sabe de salvar nosso meio ambiente para o desfrute geral, será Planetária no alcance, Francesa na forma e inexoravelmente tendente à Russa no conteúdo pela simples razão de que do que se trata, afinal de contas, é de desalojar os potentados financeiros, energéticos, tecnológicos, comerciais, industriais e midiáticos do controle da economia mundial em prol de uma economia global, com certeza, mas de interesse dos povos, vale dizer essencialmente planejada - recursos técnico-científicos para tanto estão disponíveis a serviço exclusivo dos potentados, além dos financeiros, é claro, sob sua Propriedade - e sustentável sob todos os aspectos. 


Enquanto aguardo o entrelaçamento das Primaveras Nacionais e o 1848 do século XXI, fico com a palavra de ordem transitória: "Todo o poder ao Painel do Clima!" 


2017-07-19


terça-feira, 31 de outubro de 2017

Recapitulando: Insatisfação globalizada

Deu no Al Jazeera online
11-07-2013, por Mandeep  Tiwana
http://www.aljazeera.com/indepth/opinion/2013/07/201374123247912933.html   

Neoliberalism and public unrest: Time to make the connection
The people are angry. In Turkey, Brazil, and most recently again, Egypt, thousands have taken to the streets to voice their anger and frustration at the lack of social and economic justice. Political and economic elites, working in tandem, have managed to neutralise the aspirations of ordinary people, in part spurring the disenfranchisement driving the protests.
Whether it is the removal of subsidies protecting the poor against inflation and price shocks in Egypt, or the enormous cost of hosting high profile sporting events in Brazil at the expense of social services, or government plans to commercialise a beloved public park in the heart of Istanbul, the headlong embrace of neoliberal economic policies by governments is likely to cause further dissatisfaction and unrest across the globe. (Continua)
Mandeep Tiwana, lawyer specialising in human rights and civil society issues and the Head of Policy and Advocacy at CIVICUS, the global civil society alliance.

Leia a integra do artigo clicando no link 
http://www.aljazeera.com/indepth/opinion/2013/07/201374123247912933.html   


2013-07-12


domingo, 29 de outubro de 2017

Visca la República!

Deu no Ara.cat online
27-10-2017, por G. Pruna, N. Orriols, M. Toro, M. Roger e X. Tedó

El Parlament proclama la República i posa en marxa el procés constituent


À espera, ao que parece, de um ilusório apoio da União Europeia e seus Estados reacionários - ao invés de postular a Catalunha independente no marco de uma Federação Hispânica e uma Europa autenticamente republicanas e democráticas (socialistas seria exigir demais de Junts pel Sí) - e quem sabe assustados com o ímpeto militante de suas próprias bases eleitorais, o parlamento da Catalunha e a presidência do governo autonômico protelaram, desmobilizaram, desorganizaram - quase desmoralizaram eu diria! - o mandato popular do Referendo Nacional de 1 de Outubro.

Mas cumpriram-no, finalmente - em condições muito menos favoráveis do que teria sido em 3 de outubro, quando a nação, que assombrara o mundo dois dias antes impondo à Coroa e ao franquismo insepultos o Referendo democrático, se pôs em greve geral e tomou as ruas para aguardar, celebrar e defender a Declaração de Independência e a proclamação da República.

Três vivas aos deputados independentistas e republicanos do parlamento autonômico! Aconteça o que acontecer, a semente da República democrática e social da Catalunha - e dos povos da Espanha - está lançada. 

Seus membros, a começar de Puigdemont e Junqueras - presidente e vice da Generalitat -, assim como Sánchez e Cuixart - dirigentes da ANC e Omnium já prisioneiros em Madrid -, precisarão ser defendidos da repressão vingativa do Estado espanhol e seus acólitos da "comunidade internacional", com unhas e dentes, por todos os adeptos da democracia, da soberania popular, da autodeterminação dos povos e - sem direito a tergiversação! - do socialismo.

Está provado que somente a solidariedade ativa das multidões trabalhadoras da Espanha e da Europa poderá proporcionar à República da Catalunha as condições políticas indispensáveis à eleição e instalação de sua Assembléia Constituinte. 

Está provado também que o Estado espanhol de 1978 e a República democrática e social da Catalunha não cabem na mesma União Europeia. 

Tire cada um as suas próprias conclusões. 

A minha é que está aberta a temporada, dure quanto durar,  de luta pela Assembleia Constituinte livre, soberana e democrática da República da Catalunha.

O mesmo vale para tantas quantas forem as nações hispânicas que acharem por bem exigir o seu direito à autodeterminação.

E vale também para as nações oprimidas da Europa, na perspectiva de uma outra União Europeia: uma união socialista dos povos livres do continente.


2017-10-29


sábado, 28 de outubro de 2017

Por um bolivarianismo vernáculo?


José Dirceu: É hora de dialogar com os militares

 Montagem: avebarna.blogspot.com.br
Imagem original: Internet


Leia também
"Dirceu: povo não cabe no projeto que a elite quer para o Brasil", Brasil 247 28-10-2017 
https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/324303/Dirceu-povo-n%C3%A3o-cabe-no-projeto-que-a-elite-quer-para-o-Brasil.htm


2017-10-28


sexta-feira, 27 de outubro de 2017

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Luta de classe II

Deu no Ara.cat onlinee
26-10-2017, por Agências / Barcelona
CCOO avisa els funcionaris catalans que el 155 és legal i la DUI il·legal
El secretari general del sindicat, Unai Sordo, recorda que la independència "no té encaix legal"

Montagem: avebarna.blogspot.com.br
Imagem original: Intenet


2017-10-26


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

A República Insepulta III

Deu no El País Brasil online
18-10-2017, por Afonso Benites
Senado salva mandato de Aécio Neves 
Brasília, junho de 2013


Presidente usurpador, Congresso impostor, STF fiador.
E tudo em nome da Constituição.
Qual é a saída?

2017-10-20


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A República Insepulta

Deu no El País Brasil online
18-10-2017, por Afonso Benites
Senado salva mandato de Aécio Neves 
Imagem: Internet
Alegando agir em nome da soberania do Senado e embasados na Constituição, e não de olho em seus próprios problemas judiciais, os senadores devolveram as funções parlamentares do senador Aécio Neves (PSDB-MG) nesta terça-feira. O placar foi de 44 votos a favor do tucano e 26 contrários. O senador mineiro estava afastado do Congresso Nacional e impedido de deixar sua residência no período noturno desde 26 de setembro. O afastamento foi determinado por decisão da 1a Turma do Supremo Tribunal Federal, mas foi o próprio Supremo, desta vez em sua formação completa, que decidiu na semana passada que os parlamentares deveriam ter a última palavra sobre esse tipo de restrição (Continua)


2017-10-18


terça-feira, 17 de outubro de 2017

A força é a união dos diferentes (Zao tsi fu)

Zao Tsi fu, conhecido no 
Ocidente como Sara Mago, 
escreveu numerosos 
ensaios sobre a cegueira,
dentre os quais o best-seller
"O pior cego é aquele 
que não enxerga 
absolutamente nada".


No íntimo de cada brasileiro que um dia elegeu Lula presidente e que, independentemente do grau de desilusão com os governos PT-PMDB, percebeu no impeachment de Dilma uma manobra descarada para beneficiar clubes empresariais em estresse recessivo e proteger escroques parlamentares em pânico investigativo, há de haver a indagação do motivo pelo qual os dois grandes partidos nacionais autoidentificados como de esquerda, o PT e PSOL, se mostram tão desinteressados de buscar um mínimo denominador, vale dizer uma iniciativa comum capaz de reunir as multidões brasileiras em prol dos objetivos de quase todos: defenestrar o presidente usurpador, encurralar o Congresso impostor e, por tabela, neutralizar o STF fiador dessa ordem malsã para abrir passo – no mais curto prazo possível – a eleições gerais verdadeiramente democráticas, isto é, livres da influência predatória do poder do dinheiro.

Não é, definitivamente, a unidade ou frente das esquerdas o que importa – cada indivíduo tem a sua opinião e cada organização o seu programa. Quem precisa do pensamento único? O que importa é a unidade dos diferentes - lulistas e não lulistas; nacionalistas e internacionalistas; socialistas e ambientalistas - em luta por objetivos democráticos comuns; é a frente das multidões por metas compartilhadas que sirvam à construção de uma democracia substantiva em nosso país.

Esperar passivamentecada um na sua, as eleições previstas para 2018 é passar recibo no impeachment, dar mole para a vampiragem generalizada em que se transformou a Nova República e deixar crescer o desconcerto e a frustração coletiva, ambiente ideal para a multiplicação das chances do azar.



2017-10-15


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Fiasco


Montagem: avebarna.blogspot.com.br
Imagem original: Internet

Presidente e vice da Generalitat de Catalunya, Carles Puigdemont e Oriol Junqueras - respectivamente líderes do Partido Democrata Europeu Catalão e da Esquerda Republicana da Catalunha - discutem como se livrar da Declaração de Independência que o primeiro se viu constrangido a firmar em face da inesperada maré humana que não apenas impôs o referendo de 1º de Outubro à Coroa e ao franquismo insepultos como tomou as ruas do país dois dias depois para aguardar a Proclamação da República.


2017-10-22


domingo, 15 de outubro de 2017

O Império contra-ataca



Europa dice no a la secesión
(..) Es necesario, en primer lugar, ser muy respetuosos con el principio de realidad. Ni la Unión Europea, ni los principales países del mundo están dispuestos a favorecer la ruptura de España. Al contrario. Los pronunciamientos de los últimos días no dejan ninguna duda al respecto. El presidente del Consejo Europeo, Donald Tusk, principal figura institucional de la Unión, ha recomendado diálogo entre Madrid y Barcelona dentro de la Constitución. Diálogo sin uso de la fuerza. El presidente de la Comisión Europea, Jean-Claude Juncker, declaraba ayer que la Unión se opone a una hipotética independencia de Catalunya, entre otras razones, por el efecto dominó en otros países. Juncker añadía que la Comisión Europea no piensa efectuar ninguna labor de mediación. En el mismo sentido se pronunciaba hace unos días el presidente de la República Francesa, Emmanuel Macron. El ministro de Asuntos Exteriores alemán, el socialdemócrata Sigmar Gabriel, calificó hace unos días de “irresponsable” cualquier intento de declaración unilateral de independencia en Catalunya y abogó por una solución dialogada dentro de la Constitución. El jueves, coincidiendo con la fiesta del 12 de Octubre, el secretario de Estado norteamericano, Rex Tillerson, despejaba cualquier sombra de duda que pudiese haber sobre la Administración norteamericana: “Estados Unidos quiere una España fuerte y unida”. En el mismo sentido se ha pronunciado Canadá, país de referencia en el asunto que nos ocupa. El Vaticano rechaza llevar a cabo un papel mediador. El presidente de México ha dicho que jamás reconocería una Catalunya independiente. Los mensajes son rotundos y claros. Rusia también dice apoyar la integridad de España, aunque algunos de sus medios de propaganda e intoxicación en internet deslicen noticias falsas que algunos soberanistas creen muy ingenuamente. No hay apoyos en el horizonte. Ninguna instancia internacional de relieve se propone para una mediación. Esa es la verdad. (Continua)


2017-10-15


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Lei Seca - conclusão

Viena, 1961.
O presidente John F. Kennedy
e o premier Nikita Krushchev
discutem a adoção de um
novo e revolucionário
instrumento para
a manutenção da
ordem, da estabiidade e da
 paz dos cemitérios em
todo o mundo.

Montagem: avebarna.blogspot.com.br
Foto original: Internet
O escasso interesse e a fraquíssima mobilização dos ativistas virtuais em defesa da insurgência nacional, republicana, democrática e popular da Catalunha independentista muito provavelmente deriva, no caso dos simpatizantes do PT, da Lei do Silêncio decretada pelo baronato partidário, fruto de seu compromisso inabalável com a Ordem... dos tempos da Guerra Fria (!) e sua fidelidade canina às lealdades herdadas - aí incluído o Pacto de La Moncloa, de 1978, pelo qual a Coroa e o franquismo concederam aos espanhóis, supostamente representados, dentre outros, pelos partidos Socialista e Comunista, o direito à democracia parlamentar. E com a agravante do oportunismo: se o que teria para dizer sobre dado acontecimento corre o risco de não ser adequadamente compreendido pela própria base, o saite da legenda prefere fazer de conta que nada está acontecendo.

2017-10-10


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Somos todos lulas

Deu na CartaCapital online
03-10-2017, por Redação
https://www.cartacapital.com.br/politica/o-lula-nao-e-o-lula-o-lula-e-uma-ideia-diz-lula-no-rio


"O Lula não é o Lula. O Lula é uma ideia", diz Lula no Rio
Montagem: avebarna.blogspot.com.br
Imagens originais: Internet
“O Lula é uma ideia assumida por milhões de pessoas. E eles não sabem que o Lula já renasceu em milhões de mulheres e homens”, afirmou o petista em palanque montado em frente à sede da Petrobras durante protesto contra a privatização das estatais, organizado por centrais sindicais. (Continua)

Acesse a matéria completa pelo link

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

É o bicho

Deu na CartaCapital online
03-10-2017, por Redação
https://www.cartacapital.com.br/politica/o-lula-nao-e-o-lula-o-lula-e-uma-ideia-diz-lula-no-rio


"O Lula não é o Lula. O Lula é uma ideia", diz Lula no Rio
Montagem: avebarna.blogspot.com.br
Imagem original: Internet
“O Lula é uma ideia assumida por milhões de pessoas. E eles não sabem que o Lula já renasceu em milhões de mulheres e homens”, afirmou o petista em palanque montado em frente à sede da Petrobras durante protesto contra a privatização das estatais, organizado por centrais sindicais. (Continua)

Acesse a matéria completa pelo link