terça-feira, 1 de julho de 2014

Avebarna no madraçal



Refletindo sobre suas alegorias, o blogueiro decidiu que, devido ao caráter essencialmente civil, laico e maciçamente popular da campanha futebolística argentina, esta passará a ser referida neste blog como intifada (revolta), cabendo doravante à campanha brasileira o termo jihad (guerra santa), tendo em vista o caráter místico-burocrático das fatwas (ou fataawa; sentenças, decretos) da vitória por direito divino emitidas pelos aiatolás da CBF, as quais, embora encaradas nesta Copa com a devida circunspecção pelo governo - justiça se lhe faça - e com saudável desinteresse pela imensa maioria dos adeptos do esporte bretão em nosso país, vem conseguindo, não obstante, converter a seleção de jogadores profissionais de futebol portadores de passaportes brasileiros - e do vírus do banzo - numa brigada de jovens possessos adeptos do doping da autoflagelação e prontos para se rasgarem de arrebatamento aos primeiros acordes do Hino Nacional.
Resumindo, a jihad é nossa, ninguém tasca! Com muito orgulho e com muito amor.

O Comitê Editorial da Avebarna Publishing

2014-07-01

Nenhum comentário:

Postar um comentário