quarta-feira, 30 de março de 2016

O tempo escoa

Imagem Pixabay
À falta de crimes de responsabilidade perfeitamente caracterizados, a deposição de Dilma pelo atual Congresso - alvo do justificado desprezo da quase totalidade da nação - é uma usurpação do poder, um “golpe branco” em benefício de uma plutocracia cronicamente incapaz de se alçar, pela força do voto, ao governo do país.

Somente uma Assembleia Constituinte soberana e democrática imposta pela mobilização popular teria legitimidade para interromper o mandato da presidenta democraticamente eleita pelo sufrágio universal nos termos da Constituição em vigor.


No entanto, enquanto as bases petistas, intelectuais e universitários se mobilizam, por meio de manifestações e atos públicos, para barrar o impeachment em preparação no desmoralizado Congresso Nacional, a liderança do Partido dos Trabalhadores se omite de cumprir a sua principal obrigação que é criar, por meio da adesão de personalidades civis de reconhecida respeitabilidade, incluindo NECESSARIAMENTE jornalistas e intelectuais de oposição e políticos de partidos adversários - MUITOS DOS QUAIS JÁ SE PRONUNCIARAM PUBLICAMENTE CONTRA O IMPEACHMENT - um Comitê Nacional contra o Impeachment capaz de galvanizar as atenções e unir as forças de todos os que são pela INCOLUMIDADE DO MANDATO POPULAR DILMA ROUSSEFF independentemente de seu apoio ou oposição ao governo Dilma Rousseff.


A hora é agora. Frente democrática de verdade ou... babau!


2016-03-27